Sobre a Trilha


A Trilha Game & Cultura (Game & Culture Track), aborda o que acontece depois que o jogo está pronto. Como ele modifica as pessoas, comunidades e a sociedade. Como as pessoas se reorganizam através do jogo, assim como os usos, proibições e questões que são levantadas em torno do jogo. A trilha preocupa-se também com as discussões sobre os conteúdos dos jogos, relacionados aos tópicos de interesse listados abaixo, desde que não sejam sobre a sua implementação, (trilhas de arte e design e computação), ou sobre a sua comercialização (trilha de business).
Nesse sentido, os principais campos de investigação têm sido a educação, o trabalho, a política, a linguagem, o corpo, a violência, as metrópoles, os jovens, as mídias, aparatos cognitivos, subjetividades e arte, entre outros.


 Tópicos de Interesse


A
lguns dos tópicos sugeridos para os Full Papers, Short Papers e tutoriais, são, mas não se limitam à:

  • Games e educação
  • Games e política
  • Games e trabalho
  • Games e linguagem
  • Games e juventude
  • Games e mídia
  • Games e violência
  • Games e sociabilidade
  • Games e publicidade
  • Games e emoção
  • Games e motivação
  • Games e corpo
  • Games e arte

Atenção especial nesta lista deve ser dada ao tópico de arte, pois diferentemente do uso comum em design de games, arte aqui deve ser entendida como a interface cultural entre o mundo das artes (instalações, web art, computer art, digital art, etc.) que de alguma forma se apropriam da linguagem dos games.


 Submissões

A Trilha Game & Cultura do SBgames estará aceitando dois tipos de trabalhos:
Artigos completos, Full Papers, até 12 páginas, e
Artigos resumidos, Short Papers, até 5 páginas.

Os Papers podem ser escritos em inglês ou português e não devem ultrapassar os limites definidos, incluindo todas as tabelas, figuras e referências, que devem ser relevantes ao artigo. Os trabalhos que ultrapassarem o padrão estabelecido e que não atentarem para a formatação exigida serão rejeitados sem revisão.
Os Full Papers devem apresentar resultados novos e substanciais na pesquisa teórica, empírica ou aplicada.
Os Short Papers podem descrever pesquisa em andamento ou idéias novas e devem ter 4 páginas. Embora os Full Papers sejam o alvo principal, o SBgames estimula a apresentação dos Short Papers, porque o futuro da pesquisa sobre jogos depende de inovações mas também de idéias ainda em desenvolvimento. Os autores não podem submeter o mesmo trabalho como Full Paper e Short Paper em outra trilha.
É permitida a submissão simultânea de Full Papers e Short Papers diferenciados para outras trilhas, desde que esse fato seja indicado pelos autores durante o processo de submissão de trabalhos.
Todos os Full Papers e Short Papers serão analisados por dois, ou mais, pareceristas. Os Papers aceitos serão publicados nos anais do SBgames. No caso dos autores terem enviados trabalhos para trilhas diferentes, cada Full Paper ou Short Paper será publicado na trilha específica.
É obrigatório que pelo menos um dos autores esteja inscrito no SBgames.

Os trabalhos devem ser submetidos apenas pelo sistema JEMS (https://submissoes.sbc.org.br/sbgames2008)
Material adicional como vídeos, imagens, programas, entre outros, pode ser enviado para ser incluído no CD-ROM/Site, após o artigo ter sido aceito.
Os autores devem assinar o formulário da liberação do copyright à SBgames imediatamente depois da notificação de aceitação. As submissões serão feitas eletronicamente através do sistema de submissões on-line SBC JEMS

 Formato Padrão dos Artigos

As páginas devem ser formatadas em Times Roman 10p, espaço simples, com a seguinte configuração de página:
esquerda e inferior com 2,5 cm;
direita e superior com 2,0 cm.
O texto deve conter título, autores, com os nomes das universidades ou companhias. Um exemplo do formato válido pode ser obtido AQUI. Os artigos devem ser enviados em formato.pdf. Trabalhos com outros formatos não serão aceitos.
Os trabalhos devem ser enviados sem os nomes dos autores e instituições, os quais serão acrescentados apenas se os artigos forem aprovados.
No lugar desses dados, ou de quaisquer outros que possam identificar os autores, deve-se utilizar a etiqueta <Omitido para revisão cega>.